CATEGORIA: Memórias

Ruanda e os Gorilas da Montanha

Se existe um lugar que nos enche de otimismo, este lugar é “a terra das mil colinas”. Apesar de carregar consigo as marcas da tragédia étnica que culminou no genocídio em 1994, Ruanda não cansa de nos dar lições de superação e motivos para esperança. Hoje, ele é o país mais seguro do continente e o nono mais seguro do mundo. A maioria da população tem assistência médica e acesso à educação.  Há uma das maiores representações mundiais de mulheres no parlamento e foi um dos primeiros países a proibir o uso de sacolas plásticas.

Montanha Virunga, Ruanda

O compromisso dos ruandeses para com o país é visível e inspirador. Muito disso é alimentado por pessoas conscientes e criativas que, juntas, se mostram capazes de transformar. A palavra ruandesa “Umuganda” traduz muito bem esse espírito: significa “unir-se por um objetivo comum”. Hoje ela é lei. No ultimo sábado de cada mês os moradores locais entre 18 e 65 anos se reúnem para prestar serviços comunitários.

Pessoas do mundo inteiro vão a Ruanda com a intenção de fazer o trekking dentro do Parque Nacional dos Vulcões. Ter a vida selvagem ali, tão próxima, desenha sentimentos difíceis de explicar. Não há nada como estar a dois metros de distância destes primatas tão imponentes, brincalhões e semelhantes a nós. São menos de 800 gorilas em toda África e apenas um grupo de oito pessoas por dia tem permissão para se aproximar de cada família de gorilas liderada por um Silver Back, macho que pode chegar a até 220 quilos e 1,80 metro de altura.

Ruanda lidera grande esforço conservacionista e faz do turismo uma ferramenta para a preservação – o grupo hoteleiro One&Only adere ao movimento e apresenta valores alinhados aos do país. Depois de ir até as montanhas Virunga ver os gorilas, visitar o Parque Nacional Nyungwe, que fica a cinco horas de carro, é um programa imperdível. Ele abriga uma floresta ancestral rica em biodiversidade, com mais de 275 aves e 75 espécies de mamíferos, incluindo treze de primatas. A combinação entre os dois lodges da One&Only nessas regiões permite um panorama incrível da diversidade do país.

One&Only Gorilla’s Nest
Recém-inaugurado, este refúgio de 21 acomodações fica aos pés do Parque Nacional dos Vulcões, ao longo das montanhas Virunga – esta localização é ainda mais privilegiada pelo fácil acesso ao santuário dos gorilas-da-montanha! Seus quartos estão integrados à natureza, envoltos em eucaliptos, e esbanjam um estilo rústico chique. Com muita responsabilidade e uma visão sustentável, o hotel incentiva os hospedes a participarem dos esforços de conservação da biodiversidade e a ter contato com as comunidades locais.

One&Only Gorilla’s Nest

One&Only Nyungwe House
Imagine se hospedar em meio a uma exuberante plantação de chá em funcionamento, ao lado de uma das maiores e mais bem preservadas florestas tropicais  da África. O One&Only Nyungwe House é assim. As suítes são aconchegantes e cheias de detalhes como lareiras abastecidas com eucaliptos perfumados. Espere também por uma gastronomia que realça ingredientes locais, um spa com tratamentos africanos e experiências para que os hóspedes descubram a região com autenticidade – tudo pensado para valorizar a natureza, as tradições e as comunidades locais.

Plantação de chá, One&Only Nyungwe House

(23)

Inverno e esqui no La Sivolière Courchevel!

Courchevel é, sem dúvidas, a mais glamorosa e badalada das estações de esqui francesas. O point para vivenciar essa experiência é Courchevel 1850, um dos cinco patamares de altitude por onde a estação se espalha. Lá se concentram lojas de grife, joalherias, restaurantes premiados e alguns dos melhores spas da Europa. É lá também onde fica o cobiçado La Sivolière, um hotel com jeito de chalé e com aquela atmosfera acolhedora para quem quer viajar e se sentir em casa. 

(63)

O Museu do Prado completa 200 anos!

Aberto ao público em 1819 em Madrid, o Museu do Prado foi construído pela monarquia espanhola para exibir a riquíssima coleção da família real, que desejava ver na capital do país os símbolos do progresso que tomavam conta da Europa na época.

200 anos de Museu do Prado, Madrid

O conteúdo do museu se deve em grande parte aos hábitos dos monarcas nos séculos 16 e 17, que, ao invés de buscarem abrangência, visavam reunir o maior número possível de obras de seus artistas favoritos. Isto explica o motivo pelo qual o Prado é descrito como um museu de pintores e não de pinturas.

Museu do Prado

São mais de 140 obras de Francisco Goya, permitindo que nós acompanhemos a evolução do artista. A sequência começa por quadros mais claros, seguindo pelo intenso contraste entre o claro e o escuro e terminando numa fase mais escura e dramática, que serviu de referência para os expressionistas e surrealistas.

Outro artista muito bem representado é Velázquez, com cerca de 50 pinturas, incluindo suas maiores obras-primas como “As Meninas”. O retrato da infanta Margarida Teresa de Habsburgo acompanhada por suas damas de companhia é um dos mais visitados, inclusive por conter o autorretrato do pintor em seu canto esquerdo.

Obra ” Como spinners ou a fábula de arachne ” (Velázquez, 1655-1660)

Mais nomes concorridos que podem ser encontrados pelos corredores do Prado incluem Bosch, El Greco, Rubens, Fra Angelico, e pintores renascentistas como Ticiano, Rafael e Botticelli.

“Fra Angelico e os primórdios do renascimento em Florença”

(46)

Unique garden, um hotel especial pertinho de São Paulo

Nos arredores do Parque Estadual da Cantareira, último reduto preservado da Mata Atlântica em São Paulo, o Unique Garden é um convite à contemplação da natureza e de tudo o que ela é capaz de despertar. Idealizado por Victor Siaulys e com áreas projetadas pelo renomado arquiteto Ruy Ohtake, o complexo de 300 mil metros quadrados é um verdadeiro universo sensorial a 1h15 da capital. Jardins coloridos e perfumados que parecem cenários oníricos, massagens e tratamentos com a missão de resgatar a harmonia do corpo e da alma e refeições preparadas com ingredientes orgânicos cultivados nas hortas e estufas do hotel, são apenas alguns dos elementos que compõem a experiência e não tardam a transformar a correria da vida na capital em uma lembrança distante.

(157)

4 lodges Singita para conhecer pela África

Em um continente sem fronteiras como a África, a vida orquestrada pela natureza se revela em seu estado mais primitivo. E nada nos prepara para a emoção de participar de um safári! Como os antigos exploradores, nos vemos maravilhados ao desbravar um mundo que poucas pessoas têm acesso. Em destinos remotos da África do Sul, Zimbábue, Tanzânia e Ruanda, os lodges Singita nos dão essa oportunidade.

(83)